3 motivos que fazem as pessoas desistirem de treinar – Não caia nesta!
16 de junho de 2020
O que torna uma técnica básica ou avançada?
29 de junho de 2020
Exibir tudo

Não olhe para o lado!

 O que vou contar aqui, não são dados de pesquisas ou trechos tirados de livros de desenvolvimento pessoal. São pura vivência de mais de 10 anos competindo no esporte, sendo que os últimos 4 como profissional.

 Na semana passada falamos sobre como a ansiedade pode levar até o mais otimista dos praticantes a desistência, e com certeza a comparação está no topo da lista das atitudes que produzem tal sentimento. 

 É da natureza humana se comparar, olhar para o que o outro é, e o que está fazendo. Percebi que a comparação pode ser uma arma muito poderosa tanto para a destruição do seu mindset, quanto para um impulso nunca antes dado.

 Vou colocar de forma simples e objetiva as consequências positivas e negativas de se comparar:

NEGATIVAS: Você trava, se sente inferior. No Jiu Jitsu como um faixa branca, compara sua técnica com um faixa azul ou roxa, acha que a estrada é longa demais e que não vai conseguir chegar lá. Ou até mesmo se compara com outro faixa branca que tem uma aptidão física maior por já ter praticado outros esportes e se frustra ao ‘’perder’’ um treino. Vê aquele post no instagram do fulano que faz dieta e acorda as 4 da manhã para correr e acha que nunca vai chegar no mesmo nível. Fica ansioso e desiste. 

POSITIVAS: Você acorda motivado a fazer mais. Sabe que a caminhada é longa, mas que com paciência e dando pequenos passos diariamente vai chegar lá. Que tudo é uma questão de treino, se quer ser mais forte, treina para isto, mais flexível, alonga depois do treino. Não da desculpas, se fulano consegue fazer dieta, eu também consigo, desde que ache motivação suficiente para isto. Entende que cada um tem seu caminho, seu tempo. Usa a comparação como um motor e não como uma âncora. 

  Todas as vezes que meu foco foi em outra pessoa e não em mim mesmo, por mais que eu treinasse, perdia às vezes até mesmo antes de enfrentá-la. E não é assim na vida fora dos tatames também?! 

 Aprendi que nossos maiores adversários somos nós mesmos, até quando fisicamente estamos lutando contra alguém ou contra uma situação. 

 Se for para desistir de algo, que seja de se comparar negativamente. O faixa preta é o faixa branca que nunca desistiu!

Um forte abraço e até semana que vem.

OSS!   

Ajuda? Chat via WhatsApp